30 de junho de 2016

O design de Suzana Izuno


Suzana Izuno é a grife de calçados pela qual estou ultimamente apaixonada! ♥ ♥ ♥

Não são sapatos tradicionais, e portanto, não é todo mundo que gosta. Mas pra quem gosta e acha difícil encontrar um sapatinho mais diferente, é um prato cheio. Os preços variam de R$ 150 a perder de vista, mas valem a pena. Todos são de pelica e no pé, são confortáveis como pantufas.

Os meus eu comprei na avenida Paulista, numa feira que funciona todos os domingos, das 10 às 21h, no Shopping Center 3. Mas também existe uma loja física, na Vila Madalena. 

Olha que legal os meus!! hehehe... eu acho! Se interessar, deixo o endereço e o contato no final desse post. Ela não tem site, mas tem um blog que dá pra ver alguns modelos que produz.






Suzana Izuno
Rua Harmonia, 289 - Vila Madalena. Horários da loja: Seg. à sex: 9h às 19h. Sab.: 11h às 18h.
Domingos: Shopping Center 3. Av. Paulista, 1064, das 10 às 21 horas. (11) 99102-7434

28 de junho de 2016

Mulherzice :: linguicinha na sidra


Sabe aquela Sidra canalha de 4 conto que você ganhou na cesta de natal de fim de ano "da firma" e não sabe o que fazer com ela? Eu sei! E vou te dar a dica  :)

Dá pra fazer um petisquinho de boteco diferentão, quase gourmetizado.

Cortei gomos de linguiça fininha defumada em pedaços de 2 dedos de espessura, mais ou menos, e coloquei pra fritar em panela com revestimento antiaderente, porque não vai óleo mas também não pode grudar. A linguiça frita na própria gordura que solta dela quando é aquecida.


Depois de frita, acrescentei 1/3 da garrafa de uma Sidra e deixei cozinhando, mexendo às vezes. Esse líquido vai reduzindo, reduzindo, e em aproximadamente 20 minutos vira um caramelo. Quando já está bem reduzido, é preciso mexer com frequência que é pra linguiça caramelizar na redução. Dá pra saber o ponto porque os pedaços da linguicinha ficam bem brilhantes. Reduziu assim, igual ao da foto, então tá pronto!


É de comer babando. Comidinha de Ogro, mas nem tanto...


Quem ensinou foi a Tati, do Panelaterapia. Visita lá...

27 de junho de 2016

Pretinho básico, mas descolado :: a cafeteria "Isso é café"

O mirante 9 de Julho esteve às moscas por décadas (6 décadas, especificamente), mas depois de uma reforma ganhou uma utilização mais do que interessante. Hoje ninguém mais toma e nem percebe o café como antes. Café é descolado, gourmetizou, virou estrela. Cafeterias são locais de encontros, conversas, trocas culturais. 

Juntando tudo isso, o Mirante foi reaberto, em agosto do ano passado, e hoje é um badalado espaço de convivência porque mantém a cafeteria "Isso é café" numa das pontas de seu salão. Na outra funciona um restaurante que opera com chefs convidados. 


Não fui ao restaurante, então vou falar da cafeteria. Ela é mantida pelo pessoal da Fazenda Ambiental Fortaleza, de Mococa (SP), que produz parte dos grãos arábica usados no blend da casa. Nele predomina a variedade catuaí-vermelho, o que garante um expresso forte e bem aromático, e que serve de base para outras preparações também, como o cappuccino de espuma cremosa. Há ainda café coado e cold brew, extraído lentamente a frio e servido em copo baixo com uma esfera de gelo (R$ 12,00), mas esse eu não provei porque estava um frio de lascar ontem lá no Mirante.



Entre as comidinhas, a casa traz no cardápio uma torta de pecã que parece boa, mas não tinha. Escolhi então o pão de queijo, cujo preço achei injusto (R$ 5,00 por duas bolinhas de queijo cujo diâmetro é igual ao de uma moeda de 1 real), mas que compensou pelo preço do lanchinho "Pura Vida", servido em pote de vidro com três camadas: geleia de frutas, iogurte natural e mix de cereais por cima. Esse custou R$ 12.


Tão legal quanto a cafeteria, é a história dela, que pode ser lida no site da galera que mantém o local.


A cafeteria, de dois ângulos opostos: na primeira foto, da perspectiva da 9 de Julho, em cima dos túneis estão as janelas da "Isso é café". Na outra foto, a escadaria que leva à cafeteria, com a mesma 9 de Julho ao fundo, láaaa embaixo... Na terceira foto a visão de quem está dentro da cafeteria olhando para o lado da Paulista e na outra, de dentro olhando para a avenida 9 de Julho. Bem legal...


Mirante 9 de Julho - Cafeteria "Isso é café"
Endereço: Rua Carlos Comenale, S/N - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3554 5077
Estacão: Trianon-Masp

20 de junho de 2016

A semântica do verbo "casar"


Eu ouvi: "Casa comigo?"

E então respondi: "Tem noção do que me pede? Sabe o que significa casar, efetivamente"?

"Quando digo: Você quer casar comigo? Quero dizer: Se eu me fizer casa, você mora em mim?"

♥ ♥ ♥

16 de junho de 2016

Imparcialidade tendenciosa


A comparação entre como a imprensa brasileira noticiaria a lenda da Chapeuzinho, se fosse real, não é nova. Já li algumas vezes e de tempos em tempos ela aparece na tela de novo.

Mas, apesar de não ser nova, vale a pena reler porque retrata bem a tendência da nossa midia. É legal, e pro jornalista, é mais legal ainda...

Então vamos lá... 
Como a história da Chapeuzinho Vermelho seria contada pela imprensa brasileira?

No Jornal Nacional: 
(William Bonner): "Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem..."
(Renata ): "…mas a atuação de um caçador evitou a tragédia."

Pelo Datena:
"…Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! 
Não tem transporte público! 
E foi devorada viva... Um lobo, um lobo safado. 
Põe na tela, primo! 
Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não!"

Pela Luciana Gimenes:
"Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!"

No Globo Repórter:
Tara? Fetiche? Violência? 
O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente?
O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. 
Hoje, no Globo Repórter.

No Discovery Channel:
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.

Na Revista Veja:
Lula sabia das intenções do Lobo.

Na Revista Cláudia:
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.

Na Revista Nova:
Dez maneiras de levar um lobo à loucura, na cama.

Na Revista Isto É:
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

Na Revista Playboy: 
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho no mês seguinte): Veja o que só o lobo viu.

Na Revista Vip
As 100 mais sexi - Desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!

Na Revista G Magazine:
(Ensaio com o lenhador): O lenhador mostra o tamanho do machado.

Na Revista Caras:
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: Até ser devorada, eu
não dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa.

Na Revista Superinteressante: 
Lobo Mau: mito ou verdade?

Na Revista Tititi:
Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio.

No Folha de São Paulo:
Lobo que devorou menina era do MST.

No O Estado de São Paulo:
Lobo que devorou menina seria filiado ao PT.

No O Globo:
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente.

No O Povo:
Sangue e tragédia na casa da vovó.

No O Dia:
Lenhador desempregado tem dia de herói.

No Extra:
Promoção do mês: junte 20 selos, mais 19,90 e troque por uma capa vermelha igual a da Chapeuzinho.

No Meia hora:
Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco.

Na Revista Capricho: 
Teste: "Seu par ideal é lobo ou lenhador?