2 de junho de 2015

Em defesa do amor, na sua forma mais plena

Paula e Bebeto - Caetano/Milton


Faz tempo que eu não posto nada sobre meus comerciais favoritos, mas não por falta de continuar a observá-los. Esse, do Boticário, que homenageia casais pela proximidade do dia dos namorados, eu vi há uma semana já, mas não tinha achado o seu link e então esqueci. Hoje ele foi resgatado numa conversa, e então cá está.

À princípio eu tinha postado, como título, uma defesa a todas as formas de amor. Mas não fiquei satisfeita porque quando defendemos que o amor pode ter outras formas, assumimos que ele pode ser diferente. E ele não é, imagino. O amor é igual entre homens e mulheres, entre mulheres e mulheres, entre homens e homens, entre jovens, entre tribos, entre grupos. Ele é igual e válido quando todas as partes envolvidas estão em comum acordo com o seu formato. Então eu não quis defender as diferentes formas de amar, mas sim, o amor em sua forma plena. Qualquer maneira de amor vale a pena...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!

Após escrever seu comentário, clique em "comentar como". Vai aparecer uma lista de opções e se você não for usuário de nenhuma delas, clique em "nome/URL". Apenas escreva seu nome. O campo URL é opcional, e nele é preenchido o endereço do seu blog ou site, caso tenha.

Depois é só clicar em "continuar" e em "publicar" (às vezes o sistema pede pra você provar que não é um robô, daí é só clicar no quadradinho, tá?).

Vou adorar ler o que tem para compartilhar comigo... :)