25 de setembro de 2014

Garoto enxaqueca

Na última terça-feira meu filho estava assistindo Master Chef Brasil, cuja prova do dia era preparar arroz. Aí ele solta...

"Minha mãe sairia do programa antes mesmo de começar a prova..."

Ahhh, vai te catar! Abusado!

 

24 de setembro de 2014

O bom lugar de ontem :: Lanchonete da Cidade


Vou iniciar o texto já dizendo que o post não é promocional, mas é que o lugar é tão legal que merece ser divulgado.

Numa atmosfera totalmente anos 60, a Lanchonete da Cidade é enorme, oferece bom serviço e lanches honestos à preços justos. Não é exatamente preço de lanchinho de padaria, mas mesmo assim é justo, e vale tanto pela apresentação, quanto pela qualidade do que é servido. Para se ter ideia, optei pelo Bombom Black, um lanche feito com hambúrguer de 220g, pão especial da casa e queijo derretido. Seu preço é R$ 32,50. Os preços dos outros lanches orbitam em volta disso, mais ou menos.

O local é um passeio a parte: decoração fantástica, retrô, linda. Desde os móveis até as paredes, fachada, luminárias, objetos e uniformes dos garçons, remetem à década de 60. Bem frequentada, ambiente tranquilo. Vale muuuuuito a pena! São 4 lojas em SP: Moema, Jardins, Shopping Pátio Higienópolis e Shopping Cidade Jardim. Fui na unidade dos Jardins (Alameda Tietê, 110), as outras eu não conheço.





 


22 de setembro de 2014

O menino dos fantoches de Varsóvia

"Até onde você iria em nome da sobrevivência" é a linha que costura a história de um menino judeu e de um soldado alemão descrita no livro "O menino dos fantoches de Varsóvia", que eu ganhei no meu aniversário e que acabei de ler ontem a noite.

Como todos os contos que envolvem testemunhas da 2ª guerra, o livro é muito interessante e resgata a esperança e o sentido da amizade.

É dolorido, mas também é lindo e comovente!


Sobre sonhos grandes e sonhos pequenos :: uma safra de boa colheita



É bem verdade que a a vida da gente é cheia de fases. Quando vivemos uma fase ruim, parece que ela nunca vai passar. Quando vivemos uma boa, quase não nos damos conta disso. Acho que é assim com quase todo mundo. 

Há um ano e meio tudo estava errado comigo: a compra do meu apartamento não saía do papel e eu achei que teria que desistir; eu estava em um relacionamento que me adoeceu; meu salário não dava pra nada. Expectativa zero, perspectiva zero. 

Mas, à exemplo do que aconteceu comigo há 16 anos, quando tive depressão pós-parto e invés da entrega eu resolvi voltar a estudar, fazer outra faculdade e ocupar minha cabeça, dessa vez voltei a ter 2 empregos. Não foi exatamente uma resolução minha, o segundo emprego aconteceu de um convite, mas foi o marco para a mudança tão necessária pela qual a minha vida precisava passar. A casa mudou, as relações mudaram, o salário mudou, a vida mudou! 

Eu não credito essas mudanças na conta do segundo emprego. Acho que tudo isso tem mais a ver com o fato de ter a coragem de encarar jornada dupla, mesmo sem saber, no começo, como seria... tem a ver com o fato de acreditar que eu preciso aproveitar a minha força de trabalho enquanto posso para conquistar minha vida... e tem a ver com a chegada do limite, que para cada um é diferente, e que no meu caso, é bem elástico.

Mas eu só percebi tudo isso há uns 15 dias, quando uma amiga comentou que sempre pensa no que eu dizia a respeito da minha nova casa: que me mudaria sem móveis e sem reforma, mas que agora, olha só, minha casa está quase toda pronta! Me disse ainda que estou diariamente em suas orações. Uns dias antes, por ocasião do meu aniversário, recebi uma mensagem de uma querida que mora longe, com os votos de que "os próximos 40 anos me dessem tudo o que os primeiro 40 me negaram". 

Essas duas "conversas" mexeram tanto comigo que eu tenho acordado de forma diferente, e com pensamento constante em sonhos mais robustos, para colheitas ainda mais fartas do que esta que estou vivenciando com gratidão. Que minha casa continue próspera, que meus relacionamentos nunca mais sejam de migalhas, que a recompensa pelo meu trabalho seja sempre suficiente para prover minha vida e a do meu filho e que eu ainda possa conquistar muitas outras coisas, plantar e colher muitos outros frutos e que os meus sonhos nunca mais sejam menores do que a minha capacidade de realização e nem maiores do que o meu merecimento!

17 de setembro de 2014

O móvel de mais de 80 anos da Tica

Minha amiga Tica ganhou um móvel que tem mais de 80 anos, e não sabia muito bem o que fazer com ele. Robusto, lindo, com a madeira toda trabalhada, grande e pesado! Uma peça realmente fascinante, cujos detalhes são de babar. 

Então esse móvel ficou no quintal dela esperando algum restauro na madeira (infelizmente não tenho foto de como estava antes). Quando eu o vi, imaginei que um bom banho de óleo de peroba já resolveria 90% dos seus problemas. Há alguns arranhões que ficaram quase imperceptíveis na parte superior, e a aparência opaca, de secura dele, sumiu. Até parece que foi envernizado.

Também recebeu um tratamento em spray contra cupim.

Limpo, hidratado, e sem cupins, ele foi parar na sala de TV da casa de sua dona. Que histórias será que esse móvel guarda?...



E já que eu estava com a mão na massa, dei uma mudadinha nesse cômodo da casa dela. A custo R$0, a sala ganhou uma nova carinha, mais aconchegante. Não chegou a ser uma grande mudança, mas mesmo assim o ambiente se renovou.

Nas fotos menores, dá pra o ver o antes e o depois. Ao clicar, elas ampliam. E, só pra constar, é impressionante como um tapete é capaz de transformar uma casa! Traz aconchego e calor pra uma sala que antes era somente um espaço!   :)


 



10 de setembro de 2014

O antes e depois da mesinha mais feiosa do mundo !

Depois que comprei meu apartamento, ainda na planta, sempre andava passeando pelos blogs de decoração a fim de caçar ideias que pudessem me ajudar a compor sozinha o meu espaço. 

Nesses sites, pude observar que muita gente transforma madeiras, móveis, peças, roupas e todo o tipo de utensílios em outros totalmente diferentes. Reaproveitar está na moda!! Não tem ainda nenhuma peça assim na minha casa, mas de qualquer forma aprendi a mudar o meu olhar sobre as coisas. 

Foi assim com a mesinha das fotos abaixo. Ele é horrorosa, mas achei que podia dar-lhe uma nova cara.



Primeiro ela ganhou uma boa faxina com removedor. Depois, pintei com tinta látex branca, preservando o tampo, que ganharia nova cor, mais tarde. Ela é feia, tipicamente de escritório, mas mesmo assim apostei algumas fichas nela. Depois de branca, a mesa começou (veja bem, começou, e de leve...) a ter novo visual.



Foram necessárias 3 demãos de tinta, principalmente nos pés, porque são de metal e não aderem tinta facilmente - pelo menos não a látex, mas era a que eu tinha. Depois, o tampo foi pintado com betume, apenas para envelhecer e tirar aquela cor cerejeira, que já caiu de moda faz tempo. 



As beiradas desse tampo tem uma saliência de madeira, e pra esse detalhe, eu guardei uma firulinha especial. Apliquei pastilhas de vidro sobre a mesa, com cola branca, porque não sei trabalhar com argamassa, que seria o indicado. Também não sabia trabalhar com rejunte, mas não tinha outra opção para vedar os espaços entre as pastilhinhas e dar o acabamento necessário na colocação. Então preparei a massa e apliquei com as mãos (que nenhum azulejista saiba!!!). Deu certo, mas no dia seguinte as mãos tiveram que ficar de molho no hidratante, porque parecia que a pele ia rasgar! hehehe...



Agora, pronta, ela ficou assim:










8 de setembro de 2014

Durma com um barulho desses


Moro em um dos bairros mais tranquilos da minha cidade, na minha opinião. As ruas são planas, o loteamento é um dos primeiros aprovados no município, quando Osasco ainda não era muito povoada e podia dispor de terrenos enormes (a maioria dos lotes do bairro tem 500m2), a vizinhança é muito antiga, tradicional e amistosa. 

As ruas são retinhas, não há desníveis no bairro. Tem uma grande praça central e vias largas onde trafegam, em sua maioria, somente moradores mesmo, porque não é um bairro de ligação entre outros, apesar de ser muitíssimo perto do acesso à marginal Pinheiros.

Do meu apartamento, não se ouve quase nada: algumas crianças brincando no condomínio, o barulho da fonte que alimenta a piscina, e o trem, cuja linha férrea está localizada bem ao lado do prédio. De tão tranquilo, é até monótono, e é uma delícia viver em lugar assim no meio da região metropolitana de São Paulo.

Só que o Sabiá Laranjeira também achou uma delícia viver por ali e agora, desde o finalzinho do mês passado, dá o ar de sua graça - literalmente - todas as madrugadas. Os 75 decibéis de seu canto podem ser ouvidos há 5 metros de distância, mas esse, que é meu vizinho, canta tão alto que acho que está morando na árvore do próprio condomínio.

Quem dorme? Ninguém... Mas o passarinho, de apenas 80g e 20cm, divide opiniões, inclusive a minha. Nas noites mais intolerantes, chega a irritar, mas aí a gente pensa em todo o barulho que ouve durante o dia, de buzinas, motores, teclados de computador sendo digitados, telefones celulares tocando sem parar e toda a gente falando pelos cotovelos, e parece injusto estressar por causa da majestade, o Sabiá.

Então eu me conformo e comprei protetores auriculares, pra que o pássaro possa cantar sua cantiga do acasalamento em paz. Cada um luta com as armas que tem... hehehe...

Espero que São Francisco de Assis resolva essa parada do namorico do sabiá rapidinho, se não essa festa vai até janeiro!

Ah, e pra constar, diz uma lenda indígena que quando uma pessoa ouve o canto do sabiá laranjeira, na madrugada, no início da primavera, ela será abençoada com amor, felicidade e paz. Mas, e quando a gente ouve a primavera inteira?   :)

Hoje vou de chá


Quer café ? :: cantinho pronto, finalmente


Desde que me mudei tenho vontade de montar um cantinho só para o café na minha sala. Pois é: vontade... vontade... Mas faltava tudo! Faltava o aparador, faltava a cafeteira e faltava esticar o orçamento pra comprar tanta coisa pra um apartamento que ainda está sendo mobiliado.

Então primeiro eu resolvi o "probleminha" do aparador, e comprei um móvel lindo, lindo. Ontem, a cafeteira tomou o seu lugar (presente da minha amiga Tica, que eu amo!). E agora o cantinho está pronto, e bem ao meu gosto! 

Tenho certeza de que este espaço será muito usado na minha casa... 

Vem tomar café comigo?  :)