28 de abril de 2014

O bom forró do Trio Virgulino


Quando eu era bem mocinha, com 18 anos, fui morar numa república numa cidade do interior de São Paulo. Era uma menina ainda e meu gosto musical estava em formação. Lá, durante o período de faculdade, aprendi a gostar de Belchior, Sá e Guarabira, Beto Guedes, Lou Reed e alguns outros nomes que eu poderia citar com facilidade. 

Forró Pé de Serra era um estilo que não fazia parte do meu gosto, e que, pra falar a verdade, não conhecia muito e tinha até um certo preconceito. Então, um dia a cidade ficou toda efervescente porque um tal de Trio Virgulino ia tocar na praça central. Não fui a mais animada das que esperavam pela apresentação, mas lá estava eu.

E pra minha surpresa, adorei. Eles contagiam, fazem dançar, levantam o salão (naquela ocasião, a praça central de Rio Claro). 

E bem mocinha, lá estava eu, dançando forró na praça...

Nesses dias de hoje, toda vez que ouço o Trio tocar fico toda saudosa daquela época. Na última sexta-feira, num "aulão aberto" de forró, no Sesc, quem embalou os casais desengonçados??

 Eis...



       

26 de abril de 2014

Hoje estou de molho :: reações inesperadas


Antes de tomar a vacina contra a gripe, me certifiquei de que ela não provocaria reação. Me garantiram que aquela história de ter gripe após aplicação era lenda, e que eu não sentiria nada.

De fato, ontem depois da vacina, não senti nada mesmo. Tive um dia cheio, fui ao cinema, à loja de artesanato, à aula de dança, à um show... ótimo dia. Já estava deitada, pra dormir, muitas horas depois da aplicação da dose, quando meu braço começou a queimar tanto de dentro pra fora, que parecia que meus ossos estavam em brasa. Mesmo assim peguei no sono.

De manha doía pra abrir os olhos, doía pra pentear o cabelo, doía pra lixar as unhas, doía, doía... Até partes do meu corpo que eu nem sabia que existiam, doíam! Passei o dia na cama, a noite também e tenho febre. Não saio da cama hoje nem se me prometerem o melhor programa do planeta: nem cinema, nem teatro, nem jantares, nem namoricos, nem nada que me faça mover músculos.

Não estou escrevendo tudo isso pra fazer campanha contra a vacinação, longe disso, mas é certo que a reação da vacina é violenta. Os médicos dizem que não, e então eu vou dizer uma coisa: se tudo o que eu estou sentindo for psicológico, vou começar a entortar cabo de colher com o poder da minha mente...

24 de abril de 2014

Presente pra minha casinha

Meu apartamento tem ganhado muitos mimos. Acho que é coisa de casa nova...

Hoje, ele ganhou um novo São Francisco e já estou cá pensando no local certinho pra ele! Quão bom é sentir essa sensação. 




22 de abril de 2014

Lembrancinhas para aniversário de 15 anos

Vou repetir as lembrancinhas que já fiz pra um casamento, mas agora é pra aniversário de 15 anos. A escolha da mocinha foi pelas agendinhas encapadas com tecido e a amostra a deixou bem satisfeita.





Agora só faltam 90!


20 de abril de 2014

Páscoa feita à mão

Esse ano a Páscoa Católica Romana e a Ortodoxa são celebradas na mesma data: hoje, 20 de abril. Sendo assim, a comemoração na minha família é dupla. 

Quando a minha avó paterna era viva, no dia da Páscoa Ortodoxa ganhávamos ovos pintados por ela. Geralmente eram ovos tingidos, sem muitos enfeites, porque ela não tinha muitas habilidades manuais.

Depois que ela se foi, não ganhei mais ovos pintados, mas comecei a presentear as pessoas que eu amo com as minhas próprias pinturas. Claro, não ficam perfeitos, mas faço com carinho e ainda mantenho a tradição.

Eles devem ser cozidos por muito tempo antes da pintura, e podem ser guardados por anos... Os desse ano ficaram assim!







Feliz Páscoa!!!

14 de abril de 2014

No bom estilo faça você mesmo :: máscara de coruja

Minha chefe e sua filhota vão participar do concurso "Minha mãe é uma coruja", que consiste na premiação da foto mais criativa entre mães e filhos. O prêmio, bem como quem organiza, não vem ao caso. O que vem ao caso é a encomenda que me foi feita: tinha que fazer uma máscara de coruja.

Claro que a chefe sabe que não sairia nada muito profissional, mas o que vale é a criatividade da foto, então isso fica com ela. Minha parte era confeccionar a máscara.

Depois de uma breve consulta ao Google, achei um molde bem bonitinho, e com materiais simples, que já tinha em casa, o resultado foi este:


Mega simples, mas vai cumprir o objetivo. O molde está ao final do post. Ficou bem bonitinha...   :)

 

 
 



O bom exemplo lá de casa

Auto promoção é quase tão cafona quanto fumar ou ser cafajeste. É over, fora de moda...

Mas é irresistível postar um bom exemplo de comportamento como o lá de casa nesse mês que passou. Estamos com os níveis mais baixos da história no sistema Cantareira, que é o que abastece a minha cidade de água potável. Chegamos aos alarmantes 12% da capacidade total do sistema, há 2 dias, e hoje estamos com 12,1%, por causa da chuva que caiu no fim de semana. 

É pouquíssimo, e o Estado prevê que, mesmo se chovesse todos os dias, a represa demoraria mais de dois anos para voltar ao normal. Por isso, a concessionária de águas de São Paulo vem fazendo uma campanha pela economia de água, a fim de que não entremos e um rodízio de racionamento.

Em casa, nossa meta, conforme estipulado em conta, era o consumo de 24m³ mensal (nossa média é 29m3). Esse mês, consumimos 23m³, ganhamos congratulações na conta e um bônus de R$ 24,92. 

Ah, só pra constar, ninguém deixou de tomar banho! A redução foi conquistada lavando quintal com reuso da água da roupa, fechamento de torneiras na lavagem da louça e banhos mais rápidos, sem cantorias no chuveiro, o que me deixa meio triste, porque adoro cantar a música do passarinho no banho, como diz o meu filho...

Mas meu talento para a música pode adormecer, se for por essa boa causa... hehehehe... 

10 de abril de 2014

Há 16 anos...


À essa hora, 16 anos atrás, eu e o Vítor nos preparávamos para uma incrível experiência. E, às 13h52 daquela sexta-feria da Paixão, eis que nos conhecemos pessoalmente...

Grande momento!

Feliz aniversário, filhote lindo da mamis!!!!

9 de abril de 2014

Levando um baile do filho


"Vítor, vem jantar!

 [e ao ver o seu prato feito]
Ah filho, come feijão...

Pra que?

[dançando e cantando, respondi]
Pra ficar fortinho... pra ficar fortinho
E crescer... e crescer...
...
Ai mãe, seu tarja preta acabou?

7 de abril de 2014

7 de abril :: Dia do Jornalista

"É um desafio encontrar palavras para parabenizar aqueles que vivem delas"


Fotojornalismo de luto :: A morte de Anja Niedringhaus

É sempre ruim saber que um jornalista morreu ou foi ferido por conta do exercício de sua profissão. Na sexta-feria o mundo perdeu Anja Niedringhaus, a laureada jornalista alemã, de 48 anos, que foi abatida a tiro por um comandante da polícia afegã.

A fotojornalista da agência Associated Press cobria, na ocasião, os preparativos para as eleições presidenciais do sábado no Afeganistão. Sua colega canadense Kathy Gannon, correspondente especial para a região, foi também foi baleada com dois tiros, e está hospitalizada.


Ganhadora do prêmio Pulitzer, em 2005, pela cobertura da guerra do Iraque, Anja procurava captar réstias de humanidade no meio da guerra e do sofrimento. Algumas das suas espantosas fotografias fazem parte da história do fotojornalismo mundial dos últimos anos. Trabalho incrível, corajoso, perspicaz e acima de tudo, humano.


Anja foi a terceira jornalista a ser assassinada durante a campanha eleitoral no Afeganistão. No mês passado, um repórter sueco, Nils Horner, também foi morto a tiros. Pouco tempo depois, o repórter afegão Sardar Ahmad, que trabalhava para a agência de notícias francesa AFP, morreu durante um ataque do Talibã no hotel Serena, na capital Cabul.

3 de abril de 2014

Requentadinho com gosto de novo


Eu já tinha feito essa receita, dica da prima, mas não tinha postado. Ontem, fiz de novo, e vou contar uma coisa: é de comer rezando, ajoelhada, de tão bom! E falando em bom, ela só tem parte boa: é rapidinha, caseirinha, e baratinha (a não ser pelo preço do requeijão que ontem me fez cair de costas no mercado: R$ 6,70 por 200g! É isso mesmo galera??? Fiquei bege...)

Abri a geladeira e não me apeteceu em nada jantar aquele arroz requentadinho que tinha sobrado do almoço. Então, ralei meia abobrinha e a refoguei. O modo de refogar legumes varia entre as que se atrevem na cozinha. Eu, por exemplo, frito a cebola na margarina, junto a abobrinha, o sal, e cheiro verde bem picadinho. Quando faço quantidades maiores, invés do sal eu coloco meio cubinho de caldo de legumes ou de galinha.

Como a abobrinha foi ralada bem fininha, fiquei de olho no refogado para que ela não ficasse mole. Na verdade, o cozido ficou só uns minutinhos no fogo, sempre mexendo, e eu desliguei ainda "al dente" porque a própria temperatura se encarrega de fazer o resto.

Esquentei bem o arroz, para que ele não perdesse tanta temperatura na hora de preparar o prato e quando estava tudo pronto (arroz e abobrinha), misturei tudo e acrescentei uma colher generosa de requeijão.

Requentadinho, com gosto de novo e com textura e cara de risoto! 

(Vale lembrar que essas medidas foram pra uma porção individual, porque estava sozinha ontem. Da outra vez, fiz com arroz fresco e para 2 xícaras, usei uma abobrinha grande e um copo de requeijão)

Espetacular!!!

2 de abril de 2014

A maior flor do mundo :: José Saramago

Esse vídeo é lindo, como também é lindo o livro infantil A maior flor do Mundo. Legítimo Saramago...