31 de outubro de 2013

Felicidade se mede em centímetros ?

O blog da revista Super Interessante trouxe uma matéria dizendo que, segundo pesquisas, pessoas altas são mais felizes. A coisa tá até ilustrada com gráficos. De acordo com a ilustração gráfica, minha altura me privilegia com a maior felicidade do planeta!!! Então tá, né... 

Do alto dos meus 1,72m pergunto: felicidade se mede em centímetros? Quero a minha em quilômetros...

Vou reproduzir a matéria na íntegra e postar link também. Da mesma série, vale a pena ler "Mulheres altas parecem mais inteligentes" e "De olho no rebolado". A partir do próximo parágrafo, o texto não é mais meu.

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-

"Olha só, eis que felicidade também se mede em centímetros. Quem conta pra gente é o pessoal por trás da Gallup-Healthways Well-Being Index, uma pesquisa dos EUA que entrevistou mil adultos de lá todos os dias por três anos, registrando seus hábitos, status de saúde, estados emocionais e outros fatores relacionados à qualidade de vida.

Depois de compilar os dados, os pesquisadores constataram, entre outras tendências, que as pessoas altas vivem com mais bem-estar do que as baixinhas.

Mas quanto “mais bem-estar”? O blog Economix, do The New York Times, criou gráficos bonitinhos pra gente visualizar a coisa melhor.

Dá uma olhada. Na horizontal, está a altura, medida em polegadas (inches), no caso dos homens, indo de 1,63 m (64 in) a 1,93 m (76 in) e na vertical, o “índice de bem-estar”.


Basicamente, as colunas mais altas representam as pessoas mais felizes. Dá para ver no primeiro gráfico que os homens compridos são consistentemente mais felizes do que os baixinhos, e que o homem mais satisfeito com a vida é o que tem 1,91 m (75 in).

Entre as mulheres – agora o gráfico exibe de 1,47 m (58 in) a 1,83 m (72 in), a tendência também prevalece: as mais altas reportam mais bem-estar do que as baixinhas. Mas não é o caso de “quanto mais alta, mais feliz”: a partir de 1,83 m, a satisfação feminina vai caindo. Aparentemente, ser alta demais não cai muito bem para uma mulher. A mais feliz, segundo a pesquisa, é a que mede 1,73 m (68 in) (e usar salto alto não vai ajudar, viu?).

O pessoal da Gallup-Healthways só colheu os dados, então não há nenhuma explicação científica oficial para o “fenômeno”. Mas é fácil supor as razões, né? Acessibilidade, pra começar. Ser capaz de pegar um produto na prateleira mais alta do supermercado certamente faz o cara se sentir melhor consigo mesmo."

O olhar do artista

Consigo, às vezes, enxergar a transformação de um móvel em outra peça, no máximo. Meu olhar está longe de ser apurado como o olhar de um artista, por mais simples que pareça ser sua obra. É o caso do designer Javior Pérez que vê em objetos do cotidiano a transformação em desenhos bem interessantes. Quer ver mais? Fica o link para o instagran do artista.



 

Hoje é dia de chá com as amigas

No dia 31 de outubro, meu chá com as amigas é especial!

28 de outubro de 2013

Minha primeira vez com Lou Reed

Conheci o som de Lou Reed há exatos 19 anos, que me foi apresentado pela primeira grande paixão da minha vida. Talvez por isso, ouvia "Walk on The Wild Side" como se fosse um hino. Na verdade, o que me foi oferecido na época foi uma fita k7 do The Velvet Underground, e eu me recordo desse dia com perfeição. Depois, era sobre Lou Reed que ele me falava e me ensinava a ouvir, muitas vezes.


Isso aconteceu em um período da minha vida totalmente diferente do que vivo hoje. É claro que todos os dias são diferentes uns dos outros, e até pela lei natural das coisas, todas as épocas diferentes também uma das outras, mas de forma tão corriqueira que a gente não percebe a tênue linha que separa uma das outras. No caso desse período da minha vida, não é uma linha que o separa... é uma corda!, com limites bastantes definidos! Sei onde essa época começa e sei onde acaba e posso dizer que foram os melhores dias que já vivi, com gosto de liberdade, conquista e grandes amigos (ou irmãos, né Lu?).

E lá estava ele... Lou Reed fazendo parte disso, ditando a trilha sonora desse bom tempo.

Retomei Lou Reed na minha vida há uns 4 anos, quando comprei o livro "Atravessando o fogo - 310 letras de Lou Reed", época em que voltei a ouvir "Walk on The Wild Side" e "Vícious" de forma ostensiva novamente. 

Lou Reed se foi, mas ainda bem que a música fica, pra sempre!

Salve!

Kama Sutra dos casados

"The Married Kama Sutra", de Simon Rich e Farley Katz, foi lançado hoje nos Estados Unidos e retrata, com imagens e textos curtos,  a vida sexual (#sóquenão) pós matrimônio. Me lembra a piadinha do solteiro que tinha 7 camisinhas na carteira, uma pra cada dia da semana, e do casado que tinha 12 camisinhas na carteira, uma pra cada mês do ano.

Osso, mulherada... osso!








Repararam que o bonitão sempre que aparece de cuecas, as meias também acompanham? Quem aguenta, né?

Enfim... aqui, quem quiser consegue comprar pelo Amazon, por U$ 12,34. Legal de ter, né? A quinta foto é a cara do meu ex-marido, que insistia em largar o tênis na casa, pra eu recolher! rsrs... Coisas do casamento...

Renato Teixeira canta Paulo Vanzolini

"Vou pegar o teu retrato
vou botar numa medaia
com um vestidinho branco
e um laço de cambraia
vou pendurar no meio peito
que é onde o coração trabaia, ai, ai"
Paulo Vanzolini - (somente esse verso da música)


Neste fim de semana Renato Teixeira fez menção a Paulo Vanzolini sem seu show, com uma homenagem muito bonitinha. Entre canções, ele contou "causos" e cantou com o filho Chico Teixeira, "Cuitelinho", um folclore recolhido e tendo verso acrescentado por Vanzolini. Gostoso de ouvir!

Mini panelinhas de suculentas

Tenho plantado muitas suculentas porque são plantinhas resistentes e oferecem várias opções de formatos e tamanhos. Assim, em um único vaso dá para se colocar várias espécies e formar um arranjo bem legal. Não importa se o vaso é enorme, como no caso do arranjo de São Francisco que fiz há um tempinho, ou se são panelinhas minúsculas, de porcelana. As suculentas se acomodam em qualquer espaço e ficam muito charmosas.

Olha só o último arranjinho que fiz para um projeto muito especial, mas que ainda é segredo! rsrs...


Para se ter uma ideia, essas panelinhas são to tamanho da palma da minha mão e as plantinhas são bem pequenas mesmo. Como não tem furinhos no "vaso", eu molho o arranjo com conta gotas, porque as suculentas não gostam de muita água.





24 de outubro de 2013

Meus livrinhos desse ano :: Coleção Itaú


Todos os anos a Fundação Itaú lança pequenas coleções de livros e os envia a quem se interessa em ler para crianças, mesmo que seja somente para as de casa.

O envio é gratuito e para recebê-los, basta se cadastrar no site. Esse ano, já recebi os meus!  :)

Também quer os seus? Então clique na imagem acima, do sapinho, e cadastre-se. Em menos de uma semana os livretos chegam no endereço informado.


22 de outubro de 2013

Qual a novidade ? :: acerca do Facebook

Vídeo de decapitação tem a rodo na internet, mas a postagem vale pelo comentário sobre o facebook. O comentário só não foi melhor porque tem erro gramatical.

21 de outubro de 2013

As 29 músicas da minha lista



Meu filho estava comentando sobre uma pesquisa feita por um site, que eu não sei qual é e que também não vem ao caso, porque não vou participar, sobre as músicas que as pessoas mais gostam de ouvir. Na era do funk ostentação e do sertanejo universitário, claro que esses gêneros apareceram bastante. Não sei qual faixa etária respondeu ao questionário do site, e nem qual o público. A iniciativa me fez pensar o que eu responderia, se participasse da enquete. Só por farra, fiz a minha lista. E a sua, como ficaria?

Qui nem jiló - Luiz Gonzaga
Sangue Latino - Ney Matogrosso
Pétala por pétala - Chico César
Bicho de 7 cabeças - Geraldo Azevedo
Sapato 36 - Raul Seixas
Naquela mesa - Nelson Gonçalves
Noiva - Belchior
Sabiá - Luiz Gonzaga
Esperando aviões - Vander Lee
Iolanda - Chico Buarque (Pablo Milanes)
Disritmia - Martinho da Vila
Uirapuru - Zizi Possi
Pelo amor de Deus - Martinha (Paulo Sérgio)
As curvas da estrada de Santos - Roberto Carlos
As pastorinhas - Noel Rosa
O que é, o que é? - Gonzaquinha
É hoje - Simone  (Didi Mestrinho)
Vaca Profana - Caetano Veloso
ECT - Cássia Eller
Conselho - Jorge Aragão (Almir Guineto)
Samba do Grande Amor - Chico Buarque
Colcha de retalhos - Cascatinha e Inhana
Chega de saudade - Vinícius de Moares
Regra 3 - Vinícius de Moraes
Lá no pé da serra - Sérgio Reis (Elpídio dos Santos)
O mundo é um moinho - Cartola
Mesmo que seja eu - Erasmo Carlos
Pavão misterioso - Ednardo
Sonífera ilha - Titãs

Bom domingo, com promoção de comidinha

Bom programa, boa comida e boa companhia resultam em bom domingo. Assim foi ontem! Logo de manhã estava no Sesc Pinheiros para ver a apresentação da Ópera de Pequim, já postada aqui. Depois da ópera, comemos bem e o domingo ficou perfeito.

Mas vamos ao motivo do post! Até o dia 3 de novembro quem pede batata canoa em um dos 27 estabelecimentos participantes do "Festival da Batata Canoa" e dá nota para os 2 molhos que acompanham a porção, criados especialmente para cada estabelecimento, ganha uma porção extra. Facinho, rapidinho, gostosinho...


Nossa porção foi pedida no Galinheiro Grill, na Vila Madalena (SP) e os molhos desenvolvidos para a casa são os de ervas finas e o de pimenta. A porção extra só vem depois do voto comprovado. É legal!



Estabelecimentos participantes (para aumentar, clique na imagem),
ou consulte o site do Festival.

Ópera de Pequim


Criada a mais de 200 anos na capital imperial chinesa, a Ópera de Pequim é patrimônio oral e intangível da humanidade, título que lhe foi conferido pela Unesco em 2010. No Brasil, o espetáculo estará em turnê até amanhã, dia 22.

Não sei se todas as apresentações selecionadas para nós, brasileiros, são as mesmas. Na que assisti ontem, as 4 árias escolhidas foram Encruzilhada, Adeus minha concubina, Rio do Outono e Presenteando uma pérola na ponte do Arco-íris. 

Para o meu gosto ocidental, o som me pareceu bem estranho. Deixo o destaque para a delicadeza e a concentração dos artistas e para o impecável figurino. É impressionante!