5 de fevereiro de 2013

Desenhos completos ou rabiscos mal acabados? :: Uma campanha pela boa e velha cantada

Eu não sei do que o Xico Sá fala no post intitulado Não deixe a cantada morrer, publicado hoje no blogfolha (e o qual eu reproduzo na íntegra, abaixo), quando ele se refere ao BWF, porque não tenho um perfil no Facebook. Pelo que entendi, o aplicativo funciona como o cutucão, sei lá, na tal rede. Os usuários se marcam, ou se cutucam, e a sessão de sexo está combinada. Pior do que não precisar da cantada, é não precisar nem da conversa. Pior ainda é não precisar de palavra alguma, assim, como fazem os cachorros, leões, ornitorrincos e bichinhos afora. Mas esses, pelo menos, exalam os odores do acasalamento. Com o BWF, basta um clique.

Eu não gosto do clique - pelo menos não só dele. O clique é bom para completar o cheiro sentido durante o dia, lembrar o esbarrão dado, e quem sabe terminar com um desenho completo. Isso me lembra umas boas  conversas pelo velho MSN que acabavam sempre com um desenho bem feito!... nada de rabiscos!! Só que um desenho bem feito demanda tempo - de cantada, de conversa, e de o mínimo de intimidade. Isso não se consegue com uma combinadinha de sexo casual pela rede.


Perdoem-me se argumentei em vão, porque posso ter entendido a função do tal BWF de forma errada. Se o fiz, paciência... rsrsrs...

Vamos ao post do Xicão:

"Não deixe a cantada morrer

Vem agora esse aplicativo do Facebook para facilitar - ainda mais- a comilança, como diria o meu amigo Marco Ferreri. Eu te marco, tu me marcas, então tá combinado, é só sexo e amizade. O nome do brinquedinho é Bang With Friends, o BWF. Sem arrodeios, trepe com amigos.

Assim muito objetivo e direto, sem gastar o latim e o lero-lero. Tudo bem, sintoma dos nossos tempos - chega de mascar o chiclete Ploc da nostalgia.

Sexo com amigos ou futuros inimigos, no problem, vamos nessa. Aqui mesmo, em posts anteriores, falei do bom risco de estragar uma amizade.

O que incomoda, meu caro, é outra coisa.

Estamos perdendo a sagrada arte da cantada, os fragmentos do discurso amoroso, a dramaturgia da conquista, o suspense Hitchcock do xaveco, a incerteza que instiga e aumenta a fissura, a fome de tudo. O bom, mesmo na mais banal das transas, é o processo de desejo, o sexo falado antes do sexo deveras feito. O que se diz um para o outro, mesmo que tudo aquilo só dure por uma festa.

Os idiotas da objetividade, como chamava o tio Nelson, já destruíram a imaginação dos jovens. Agora querem eliminar qualquer tipo de linguagem que não seja dois cliques e uma penetração mal-conduzida. Quando falo de imaginação, falo de masturbação, este recurso tão caro a todos os machos, principalmente aos rebentos, aos rabiscos de homens.

A punheta com enredo, sejamos diretos, está praticamente morta. Em vez de criar uma narrativa do desejo latente, 1 minuto de pornotube. Não se masturba mais pela prima, a coleguinha da classe, a vizinha do 202 etc. Isso fará falta no futuro, em matéria de criatividade, às novas gerações.

Mas chega de aplicar o Piaget de boteco com esses moços, pobres moços. Voltemos ao Bang With Friends. Nada mal que um encontro seja armado pelas redes sociais e seus penduricalhos. Lindo. Não à toa, alguns amigos tratam o FB por “facebuça” e outras baixarias de porcos chauvinistas. O que me incomoda é que a coisa seja tão direta. Sexo bom carece de sedução e cantada, mesmo que o encontro seja pista do Love Story ou no último cabaré da Lapa.

Assim como o entre sem bater, não trepe sem cantar".

4 comentários:

  1. Com muita ou pouca cantada (quero registrar que gosto com muita), se é pra cutucar prefiro que seja pessoalmente. Prefiro não! Faço questão!

    ResponderExcluir
  2. Li, este texto, e lembrei de alguns dizeres de alguém no bate papo, alguém que se retirou de forma subida mas soube retornar com maestria, depois de novo convite..
    Quem diria que o bom papo ainda não existe..., mesmo sem conhecer este texto, ( ao menos por parte de um dos interlocutores) ele já era defendido.
    Desta feita, reitero: - QUE TAL UM CAFEZINHO... ( escrito por parte do desconhecedor) na padaria mais próxima...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um café é sempre um bom convite! rsrsrs... Apesar de ser um convite anônimo!

      Excluir
  3. Ai, ai... (suspiros de meio de tarde)

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!

Após escrever seu comentário, clique em "comentar como". Vai aparecer uma lista de opções e se você não for usuário de nenhuma delas, clique em "nome/URL". Apenas escreva seu nome. O campo URL é opcional, e nele é preenchido o endereço do seu blog ou site, caso tenha.

Depois é só clicar em "continuar" e em "publicar" (às vezes o sistema pede pra você provar que não é um robô, daí é só clicar no quadradinho, tá?).

Vou adorar ler o que tem para compartilhar comigo... :)